Produtividade saudável na quarentena

O tempo livre que o “confinamento” nos trouxe também acabou nos dando de brinde a distração, a preguiça, a falta de concentração e a abundância de entretenimento. São muitos cursos para fazer, muitos livros para ler, muitas faxinas, muitos novos projetos e, na ânsia de fazer tudo ao mesmo tempo, parece que não conseguimos fazer nada direito. Inscrevemo-nos em todos os cursos e não conseguimos completar nenhum. Decidimos ler todos os livros encostados, lemos seis livros ao mesmo tempo, sem apreender muito o conteúdo. Nós estamos imersos nessa necessidade de produtividade e há uma urgência para que façamos tudo o que estávamos procrastinando, enquanto a rotina normal não nos permitia. Tem sido assim para alguns de nós, principalmente para os que não aguentam o peso da “inutilidade”.

Mas será que ficar sem fazer nada é realmente tão ruim assim?

É preciso considerar que não estamos em um período normal da vida. Não estamos de férias. O coronavírus está se alastrando, as pessoas estão morrendo e todos nós estamos suscetíveis aos riscos que a pandemia traz. Estamos atentos aos noticiários até que nossa cabeça peça socorro. A preocupação em excesso tira de nós a paz e a graça de um tempo livre comum. Por isso, não há nada de errado em tirar um tempo para “fazer nada”. Precisamos lembrar que nossa identidade não é a nossa produtividade. Muitos de nós não estão acostumados a parar a vida e pensar sobre ela e, talvez, essa seja a oportunidade ideal para a reflexão.

Por outro lado, a quarentena também pode reforçar a preguiça e a inércia de alguns. E eu entendo que, muitas vezes, o distanciamento social forçado e a tristeza da situação atual podem nos deixar sem forças para fazer qualquer atividade que demande esforço mental. A esses eu gostaria de lembrar que somos filhos de um Deus criador. Nós refletimos à sua imagem, e também somos ordenados a criar. A tristeza tem o seu lugar em um momento como esse, mas, quanto mais focarmos nela, mais estaremos afundando em um poço de depressão. Não é errado sofrer, mas que não estanquemos no sofrimento. O que podemos fazer nesse momento para ser úteis ao mundo e, principalmente, à nossa família? Como podemos usar o tempo livre para a glória de Deus, e ao mesmo tempo saber como descansar? Aqui vão algumas dicas:

1. Tenha uma rotina

A sensação de aleatoriedade que a quarentena traz pode nos paralisar. Estamos acostumados a ter hora para acordar, comer, dormir e descansar. Você já percebeu como os bebês sofrem quando estão fora da rotina? Assim também sofremos. Mas esse sofrimento fica escondido embaixo das camadas de falta de concentração. É importante ter uma certa previsibilidade quando tudo ao redor parece instável.

2. Faça o que está ao alcance

O que está no seu controle agora? Talvez servir a sua família, ter os devidos cuidados de higiene, se alimentar bem, manter contato com seus amigos são coisas que nos ajudam a perceber que nem tudo está um caos.

3. Uma coisa de cada vez

É preciso calma e paciência. Não adianta nos atolarmos de livros, cursos, artigos e vídeos se não vamos absorver bem nenhum desses. Muitas vezes deixamos as tarefas pela metade justamente porque já estamos pensando na próxima tarefa. Se quisermos ser saudavelmente produtivos, precisamos ter uma mente fixada no “aqui e agora”.

4. Tenha metas diárias

Ter um horário específico para ler e uma quantidade de páginas também pode ser útil. As metas diárias devem ser realistas, não pense em colocar como meta um livro inteiro por dia se sabe que não vai conseguir.

5. Descanse

Tenha seu tempo para “fazer nada”, se achar que é saudável pra você. Pense sobre a vida, sobre a morte, sobre o que te preocupa, sobre o que te dá paz, e, claro, sobre a Eternidade. Só vamos conseguir elaborar bem essa situação se tivermos os olhos bem fixos no que realmente importa.

Nós somos criaturas dos extremos e eu entendo o quanto isso pode ser prejudicial. Portanto, encontrar o equilíbrio na quarentena entre “fazer muito e não aproveitar nada” e “fazer nada e ser engolido pela preguiça”, precisamos de sabedoria para não nos tornar idólatras da produtividade e, muito menos, da inércia.

Larissa Lima é uma cearense com coração corintiano. Membro da Igreja Batista Maanaim, vai se formar em psicologia até meados de 2021. Entre a psicologia e o aconselhamento, tem vivido uma história de amor pela Bíblia.

1 comentário em “Produtividade saudável na quarentena”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *